Sustentabilidade

A sustentabilidade econômica, social e ambiental está no centro da estratégia de negócio da Copersucar S.A. e dos acionistas produtores de açúcar e de etanol, tanto que a definição da missão da empresa já nasceu com o conceito da criação de valor sustentável.

 

A Copersucar e as Unidades Produtoras Sócias adotaram um modelo de gestão da sustentabilidade, que tem possibilitado atender prontamente às exigentes cláusulas e padrões do mercado global. Para isso, a Companhia realiza um processo contínuo de engajamento e fortalecimento do comprometimento de todos os envolvidos em sua cadeia de negócios.

Esse comprometimento vem gerando resultados positivos: em 2011, a Copersucar conquistou certificação global de sustentabilidade, garantindo a maior oferta de açúcar e etanol sustentável do mundo dentro do padrão internacional do Bonsucro™.

Com a certificação pelo Bonsucro™ de toda a cadeia de custódia de cinco usinas sócias, a Copersucar torna-se a empresa com maior volume de açúcar e de etanol produzidos dentro deste padrão internacional de sustentabilidade. Ao todo, foram certificados 7,8 milhões de toneladas de cana-de-açúcar, equivalentes a 470 milhões de toneladas de açúcar e 320 milhões de litros de etanol. Além da maior oferta já certificada, a Copersucar passa a atender ao padrão Bonsucro Europeu (Bonsucro™ EU Renewable Energy Directive –RED – Production Stantard), que inclui exigências fundamentais para a comercialização de biocombustiveis na União Européia.

O padrão Bonsucro avalia os impactos da produção de cana-de-açúcar na biodiversidade, no ecossistema e nos direitos humanos, além do cumprimento às exigências legais e a melhoria contínua nos processos de produção. A avaliação é composta de indicadores-chave, tais como consumo de energia e de água, emissão de gases de efeito estufa. As usinas de cana-de-açúcar devem ser membros afiliadas ao Bonsucro e os certificados são válidos por três anos, com auditorias anuais.

O Bonsucro™ é uma organização multissetorial reconhecida como a principal referência mundial em sustentabilidade na produção de cana-de-açúcar e seus derivados, cuja certificação reconhece a adoção de práticas sustentáveis no processamento da biomassa, do plantio à produção do açúcar e etanol.
Além disso, a Copersucar conta com a aprovação de 40 das 48 Unidades Produtoras Sócias no registro do Renewable Fuel Standard (RFS-2), padrão norte-americano de exigências ambientais para importação de etanol, e de 38 no registro do California Air Resources Board (CARB), que exige a adequação dos produtos ao Low Carbon Fuel Standard (LCFS).

A Copersucar foi uma das primeiras no Brasil a cumprir todas as exigências do RFS-2, credenciando a Companhia a avançar em novos mercados. Antes disso, as Unidades Produtoras Sócias já produziam etanol atendendo à Renewable Transport Fuel Obligation (RTFO), normativa do Reino Unido que estabelece padrões de desempenho socioambiental para fornecedores de combustíveis. Essa normativa será substituída em breve por padrões de certificação homologados pela União Europeia.

O modelo único de negócio da Copersucar garante autonomia de gestão às Unidades Produtoras Sócias, porém, se compromete a compartilhar conhecimentos e estimula a adoção de práticas sustentáveis em toda sua cadeia de fornecimento, de forma a agregar valor ao seu negócio. Por isso, fomenta o uso responsável dos recursos naturais e valoriza as melhores práticas agrícolas e trabalhistas na produção.

A Copersucar tem convicção de que a expansão da produção agrícola não deve avançar sobre áreas de alta biodiversidade e de preservação permanente. Por isso, o modo de produção das Unidades Produtoras Sócias, localizadas nos Estados de São Paulo, Minas Gerais, Paraná e Goiás, é orientado pelo Zoneamento Agroecológico da Cana-de-Açúcar, instituído pelo governo federal, e pelo Zoneamento Agroambiental, instituído pelo governo do Estado de São Paulo.

Além disso, o cultivo dessas terras é otimizado pelo emprego de tecnologias avançadas de agricultura, o que permite o aumento da produtividade sem a necessidade de expansão da área de plantio. Com o processo de mecanização decorrente da extinção da queimada de cana – resultado do acordo voluntário entre o governo do Estado de São Paulo e o setor sucroenergético e da Lei Estadual 11.241/2002 –, as Unidades Produtoras Sócias realizaram parcerias para capacitar e ajudar a recolocação da mão de obra que está deixando a lavoura.

Também faz parte das práticas da Copersucar garantir em seus contratos que seus fornecedores cumpram as normas da Organização Internacional do Trabalho (OIT), como a Convenção 138, que trata da idade mínima para a admissão ao emprego, e da Convenção 29, sobre a eliminação do trabalho forçado, bem como adotem as boas práticas agrícolas e de proteção do meio ambiente, entre outras.

Nas safras 2010/2011 e 2011/2012, a área de Sustentabilidade promoveu nove encontros com as usinas para explorar temas relacionados à sustentabilidade, com o objetivo de ampliar o conhecimento e incentivar formas mais eficientes de gestão dos impactos nas Unidades Sócias.

No processo de engajamento da cadeia de valor, as Usinas Sócias realizaram o engajamento de seus fornecedores de cana, permitindo o levantamento de dados relacionados à eliminação da queima da cana, descarte de embalagem de agrotóxicos, utilização de defensivos agrícolas, uso de equipamentos de proteção individual (EPIs), entre outros.

Na safra 2009/2010, a Copersucar realizou o primeiro inventário de emissões de Gases de Efeito Estufa (GEE), baseado na metodologia da Greenhouse Gas Protocol Brasil (GHG Brasil), e fez medições em quatro usinas. Em 2010/2011 a ferramenta de medição foi disponibilizada a todas as usinas para a realização de seus próprios inventários.

Outra iniciativa da Copersucar para influenciar a adoção de práticas sustentáveis em toda a cadeia de fornecimento foi conscientizar seus fornecedores de serviços logísticos e a empresa já analisa formas de influenciar diretamente as usinas originadas.

Um dos compromissos da Companhia agora é aprimorar o relato dos impactos socioambientais de sua atividade. O Relatório de Sustentabilidade publicado em 2010 já atendia às diretrizes da Global Reporting Initiative (GRI G3), nível de aplicação B – GRI Checked. Nele a Copersucar se comprometeu a analisar sistematicamente seu desempenho econômico e socioambiental e a comunicar, a cada dois anos, suas ações de sustentabilidade para seus públicos de interesse. Com esse objetivo, a Companhia adotou um sistema informatizado para aperfeiçoar a coleta e o tratamento dos dados, elevando o grau de monitoramento e confiabilidade das informações.

Outro compromisso assumido no relatório de 2010 foi o de designar uma auditoria independente para comprovar a qualidade dos dados relatados. Assim, em julho de 2012 a Copersucar publicou seu segundo Relatório de Sustentabilidade, agora com aplicação de nível B+, verificado pela empresa Bureau Veritas Certification (BVC), o que aumenta ainda mais a credibilidade do relato junto aos públicos de interesse da Copersucar.

Esta segunda edição teve seu escopo ampliado com a integração do relato sobre o último triênio da gestão executiva da empresa e o fortalecimento do tema sustentabilidade como pilar estratégico de gestão da Companhia para atendimento às rígidas exigências comerciais globais.

 

Fonte: http://www.copersucar.com.br/sustentabilidade.html

Publicado em: 03/11/2012

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *